Paróquia Santo Antônio de Venda Nova

Quem não pode fazer grande coisa, faça ao menos o que estiver na medida de suas forças; certamente não ficará sem recompensa.

Santo Antônio de Pádua

A história de região de Venda Nova é repleta de curiosidades. Não é possível datar sua origem; no entanto, existem documentos dos séculos XVIII e XIX que revelam que foi sendo constituído um povoado em virtude da passagem periódica de tropas por este caminho.

Um desses documentos é uma carta endereçada à Dona Maria I (Rainha de Portugal), datada de 1787, através da qual é solicitada a autorização à rainha para erguer, em Venda Nova, uma capela de invocação a Santo Antônio de Lisboa, pois os moradores do Arraial da Venda Nova padeciam de falta de “pasto espiritual”.

O início

A história de região de Venda Nova é repleta de curiosidades. Não é possível datar sua origem; no entanto, existem documentos dos séculos XVIII e XIX que revelam que foi sendo constituído um povoado em virtude da passagem periódica de tropas por este caminho.

Um desses documentos é uma carta endereçada à Dona Maria I (Rainha de Portugual), datada de 1787, através da qual é solicitada a autorização à rainha para erguer, em Venda Nova, uma capela de invocação a Santo Antônio de Lisboa, pois os moradores do Arraial da Venda Nova padeciam de falta de “pasto espiritual”.

Trabalho e religiosidade

Conforme relato de Dona Perina no livro “Lembranças de Venda Nova”, a primeira construção da Matriz ocorreu em 1809, e era composta de duas torres, um coreto, o adro onde se enterrava os padres, portas e janelas azuis, um salão, duas entradas, uma a direita outra a esquerda. A entrada da direita dava acesso ao cemitério cujo restos mortais ali sepultados foram levados para o da Consolação. Tinha ainda uma capelinha de vidro com a imagem de uma Nossa Senhora que usava brinco, chamada de Nossa Senhora de Brinco.

As festas religiosas, em especial as do mês de maio e Semana Santa, tinham envolvimento da população venda-novense que participavam das celebrações, procissões, coroações, etc. Nas celebrações a igreja era dividida ao meio. As mulheres ficavam a esquerda e os homens à direita, com exceção da Semana Santa.

Curiosidades

As atividades econômicas estavam ligadas ao cultivo da terra e a exploração de seus recursos naturais, o que não facilitava a vida de seus trabalhadores, nas lembranças do Sr. João Fausto Costa, o Sr. Zinho, um dia-a-dia de muito trabalho e de muitas dificuldades. Construir era um dos ofícios comuns na região. Na foto, homens trabalham na reconstrução da Igreja Matriz.

Em 1925, a igreja presenciava o nascimento da corporação Musical Santo Antônio de Venda Nova, onde o Sr. Geraldo começou a ensinar músicas para alguns meninos como o Hélio, Antônio Olinto, Almir e outros totalizando 18 jovens, da Sociedade São Vicente de Paula que ajudava as famílias carentes e subdividiu em várias outras conferencias em Areias, Ribeirão da Neves e também em Venda Nova e responsável pela aquisição e construção do Lar dos Idosos que funciona até hoje.

Uma nova igreja para Santo Antônio

Quando o Pe. Célio chegou à Paróquia de Santo Antônio, encontrou toda a área que pertence à igreja ocupada por empréstimo ou aluguel. Onde hoje foi construído o Edifício D. Conceição funcionava uma Oficina Mecânica de Automóveis. A Sociedade São Vicente de Paulo já havia deixado o local. O CEPASA, onde nos encontramos para celebrar, estava alugado para o Prof. Sales, com a Escola Helena Bicalho; onde funciona a Casa de Nazaré era utilizado pelo IPSEMG. Após várias negociações e muito diálogo, todo este espaço que estava sendo utilizado para outros fins foi devolvido à Paróquia.